inovacoes-no-mercado-da-moda-roupas-atacado

Saiba como se manter sempre atualizado sobre as tendências de mercado

Existem inúmeras maneiras de se informar sobre o que acontece no mundo da moda, tanto no Brasil quanto no exterior. Confira no post, de que formas você pode conhecer as novas tendências do segmento, para oferecer sempre o que há de melhor e mais moderno para os seus clientes!

Se você trabalha no segmento de moda, sabe que esta é uma indústria em constante transformação e que para se manter sempre atualizado sobre as novas tendências de mercado, a pesquisa é fundamental. Hoje, existem empresas especializadas em pesquisas de tendências, mas também há várias outras formas de buscar referências em moda.

Continue a leitura e saiba como ficar de olho nas tendências de moda!

Onde acompanhar as tendências de moda?

Há vários locais onde você pode se informar sobre as tendências de moda para, então, aplicar nas peças da sua coleção. Confira a seguir os principais:

1 – Pesquisas de tendências

Atualmente, há empresas que são especialistas no trabalho de pesquisa e levantamento de indicadores que apontam as tendência da moda, como a Roupas Atacado Top, maior Portal de Tendências do mundo. Ao analisar comportamento, moda e mercado (regional, nacional e internacional), estas empresas conseguem desenhar algumas referências que serão destaque nos meses seguintes.

Como esse trabalho de pesquisa é bastante confiável, muitas grifes se baseiam nesses dados para criar as suas novas coleções.

2 – Portais de mídia referências no segmento

O segmento de moda e confecções conta hoje com um grande número de publicações confiáveis e conceituadas que dão uma boa ideia do que está sendo produzido nos ateliês ao redor do mundo e são fontes úteis para pesquisar referências.

As Agência dessas publicações realizam entrevistas diversas, acompanham desfiles e mostras particulares de moda que apresentam uma boa parte das tendências que estão sendo criadas. Podemos citar como exemplos a Roupas Atacado Top, como maior portal de marcas e tendências no mercado e-commerce.

As Agência de Publicidade Mídia Criativa e a Agência de Marketing Webpubli, que publica conteúdo digital para todo Brasil. Apresentando temas de moda com as principais tendências de mercado.

Acesse aqui e saiba mais sobre nossa lojas

3 – Redes sociais

Para muitas pessoas, é impossível imaginar o dia a dia sem as redes sociais. Além de possibilitar relacionamentos entre pessoas de todas as partes do mundo, as redes sociais são responsáveis, entre outras coisas, pelo surgimento dos influenciadores de moda, conhecidos como digital influencers.

Assim, pessoas “comuns” que possuem milhões de seguidores, conseguem influenciar o consumo de forma considerável, algo que antes era restrito a modelos e nomes de destaque do mercado.

Por isso, vale a pena e é bem interessante seguir alguns desses digital influencers, pois eles têm acesso a grandes marcas e às novidades do mercado da moda, sem falar que também ditam tendências com o que vestem e usam em suas redes sociais, com destaque para o Instagram e o Pinterest.

4 – Feiras e outros eventos do setor

Semanas e desfiles de moda, feiras da indústria têxtil e mesmo eventos de outras áreas que contam com massiva presença de influenciadores de moda. Tudo isso faz parte do universo fashion e são ótimas fontes para saber sobre as tendências de moda para as próximas estações.

Em locais assim, é possível sentir o clima e perceber para onde as marcas e os estilistas estão caminhando. Além disso, esses eventos permitem fazer networking e aproveitar novas oportunidades de negócios.

Aproveite para renovar seu estoque de roupas, com a Roupas Atacado Top!!

gola-polo-em-atacado-lacoste-armani-nike-adidas-ralph-lauren-tommy.png

Moda Masculina: camisa polo na Roupas Atacado Top

Os homens da atualidade cada vez mais prezam pela sua aparência. A escolha das roupas deles é tão criteriosa quanto à feminina. Pensando nisso a Roupas Atacado Top, trouxe diversos looks que trabalham o tradicional do guarda-roupa masculino com o que há de mais moderno na moda para eles. E como não citar a icônica camisa polo? Elas são aquela peça curinga para todos os homens, são peças versáteis e atemporal.

A camisa polo foi criada ainda no século XX, por um tenista francês. Ele achava inadequada as roupas utilizadas no esporte, por serem muito pesadas. O modelo de roupa ultrapassou os limites das quadras esportistas e chegou no guarda-roupa de todo o mundo. A peça é quase uma unanimidade entre os homens de todas as idades, pois deixa os homens com um ar mais “arrumadinho”, transmitindo estilo e elegância.

 

Confira os nossos modelos de camisa polo, que conta com cores e estampas variadas, que vão desde estilos mais clássicos até ao mais moderno.

Tropical

A tendência tropical vem com tudo na primavera. Estampas coloridas com folhas e flores invadiram também a moda masculina, se tornando um grande sucesso entre os homens. Um sinônimo de modernidade para eles.

Listrado

A combinação listras mais camisa polo é infalível. A coleção Masculina da Roupas Atacado Top, trouxe modelos variados com as tradicionais combinações bicolores e apostando também na estampa inserindo cores para deixar o visual mais moderno.

Patch

Os patches, que são as figuras em alto relevo aplicado em roupas, são elementos tradicionais nas camisas polos. Podendo variar as formas e tamanhos, eles ajudam a compor de forma única o look, se tornando o grande diferencial da peça.

E aí, gostaram dos nossos looks da Coleção Masculina? Acesse nosso site loja, do Roupas Atacado Top,  para conhecer todas as peças da nossa. Até a próxima!

atacadista-e-distribuidor-dicas-para-quem-esta-comecando-roupas-online-para-atacadistas-lojas-de-todo-Brasil.jpg

Atacadista e distribuidor: dicas para quem está começando

Começar um novo negócio é uma decisão importante que vai além do empreendedorismo, pois envolve muito planejamento e dedicação. Além disso, antes de começar qualquer empreitada no ramo é preciso entender o que significa atacado e varejo para não errar no investimento.

Independentemente da área escolhida, é preciso pensar na logística, pesquisa de preços, busca por bons fornecedores, avaliação do público-alvo e outras providências fundamentais para o sucesso do empreendimento. Todas essas ações são essenciais para o segmento comercial devido ao grande número de operações complexas que envolvem cada uma das modalidades de negócio.

Para ajudar na empreitada, neste artigo, listamos a diferença entre atacado e varejo, informações sobre a legislação atacadista vigente e algumas dicas para quem está começando no ramo. Acompanhe!

O que significa atacado e varejo

Ainda que o varejo e o atacado tenham os mesmos objetivos dentro do comércio e, entre eles, há algumas diferenças, principalmente nos detalhes das operações e as necessidades quando o assunto é tecnologia. Confira, a seguir, algumas delas.

Atacado

Empresas que trabalham com essa modalidade fazem a distribuição de mercadorias para os lojistas — no caso o varejo. Elas realizam as compras em grandes quantidades e revendem na forma de lotes.

As empresas atacadistas têm depósitos para armazenar as mercadorias. Já na parte de logística, contam com uma frota de caminhões para realizar as entregas dos pedidos feitos pelos lojistas do varejo.

Como o foco está em trabalhar com grandes quantidades, uma atacadista precisa de um controle automatizado de todo o seu estoque. Isso envolve a entrada e saída de produtos, localização de produtos e o controle das rotas de entrega. (Por isso tem pedidos mínimos).

Varejo

A venda em estabelecimentos varejistas se dá para os chamados clientes finais. Toda loja que trabalha nessa modalidade oferece a venda de produtos em pequenas quantidades e a maioria dos seus clientes é formada por pessoas físicas que não têm a intenção de revender o que é comprado — ou seja, a compra é feita para o consumo próprio.

Entre as modalidades de empresas que atuam no varejo é possível citar as farmácias, supermercados, postos de combustíveis, mercearias, lojas de roupas etc. A maioria delas também tem depósitos, mas bem menores que o setor atacadista. Para a gestão, utilizam um sistema para gerenciar a área de logística — se for o caso —, assim como um para o controle das mercadorias e estoque.

Dicas para quem está começando no ramo

Agora que você já sabe o que significa atacado e varejo, a seguir listamos algumas dicas para ajudar no começo da sua empreitada de sucesso. Acompanhe!

Entenda as diferenças

Antes de começar o plano de negócios, é importante reforçar as diferenças entre fabricante, distribuidor, comerciante e consumidor. O fabricante é a indústria que vai produzir a mercadoria que será comercializada, ou seja, é quem faz a junção das ferramentas necessárias como matéria-prima, mão de obra especializada e tecnologia para que o produto atinja a sua forma final.

O distribuidor é aquele que vai comprar os artigos do fabricante em grande quantidade. Além disso, ele define as estratégias de abastecimento de outros comerciantes e gerencia os itens para a sua carteira de clientes varejistas.

Já o lojista adquire as mercadorias do distribuidor e as revende para o consumidor final por meio de lojas físicas ou virtuais. Por fim, o cliente é aquele que vai comprar, contratar os serviços dos comerciantes sem a intenção de revender ou obter lucro.

Escolha o produto

Agora é o momento de montar um plano de negócios com a mercadoria que você deseja vender. Antes de escolher o produto, defina qual será a área de atuação e obtenha o máximo de conhecimento sobre ela. Observe os valores praticados, lucros, mercado, concorrência e qualidade.

A escolha do tipo de item que você vai distribuir é muito importante para analisar os riscos e benefícios do negócio. No início, é recomendado escolher produtos baratos e que tenham bastante demanda para que você possa testar e adquirir conhecimento e experiência. Posteriormente, se optar por outros produtos, já estará habituado ao processo.

Encontre uma fábrica

Após escolher o produto, pesquise as fábricas mais próximas. Ligue e agende visitas para conversar com o setor comercial de cada uma delas. Verifique as informações que serão interessantes para o seu negócio, pergunte sobre a quantidade mínima por pedido, as garantias, os preços, as formas de pagamento e detalhes importantes antes de realizar a compra. Assim, você já começa a se preparar para fechar negócio.

Analise o mercado

Também é importante fazer uma avaliação dos concorrentes para saber se o segmento é realmente favorável. Procure saber quais são os preços praticados pelos seus rivais de negócios e tente descobrir a margem de lucro real com a qual as outras empresas trabalham.

Para aumentar o seu nível de competitividade, é interessante — embora não obrigatório — entrar para o setor atacadista com itens da mesma qualidade que os da concorrência, mas com preços, pelo menos, um pouco abaixo do mercado atual. Porém, é preciso checar bem se isso é viável financeiramente.

Atente-se às novidades do setor

Outro ponto importante sobre a análise de mercado é que ela nunca termina. Isso significa que, de tempos em tempos, será necessário rever todos esses levantamentos. Com isso, você sempre estará por dentro das novidades e oportunidades de expansão.

Uma boa forma de fazer isso é estabelecer uma relação mais próxima com os comerciantes que você atende. A princípio, procure saber antecipadamente do que eles estão precisando. Faz parte do ramo se atualizar sobre o comportamento dos consumidores finais. O objetivo é agradar aos clientes dos seus clientes e trabalhar a fidelização. Muito foco e atenção aos varejistas! Veja mais sobre isso no próximo tópico.

Pesquise a fundo sobre o público-alvo

Além da análise de mercado, que é um levantamento feito sob uma perspectiva mais ampla de um determinado setor, também é crucial se aprofundar nas peculiaridades do público-alvo. A dica aqui é fazer um recorte em duas vertentes: os atacadistas em si e os consumidores finais dos produtos.

Faz parte dessa análise uma avaliação sobre os compradores em foco, como acabamos de mencionar no tópico anterior. Contudo, para se destacar da concorrência, acompanhe de forma mais especializada a conduta de lojistas e seus respectivos clientes.

Isso vai ajudar a melhorar a sua análise de mercado e deixar você sempre à frente dos seus adversários comerciais. Uma boa dica é deixar uma mensagem nos caminhões com a pergunta: “Não encontrou o que procura? Ligue para tal número!”. Mande e-mails com questionários, telefone e tenha canais de relacionamento nas redes sociais, no site e no blog corporativo.

Preste atenção na logística

É preciso contar com serviços de ótima qualidade e contratar bons motoristas para que o produto seja entregue com segurança. Desse modo, investir na área de logística é imprescindível. Por isso, ter uma frota própria ou terceirizar a entrega são opções que devem ser analisadas com critério e muita atenção.

Pondere sobre a infraestrutura

A logística depende diretamente da localização dos seus depósitos, do tamanho e da qualidade da sua frota. Para trabalhar com uma distribuidora, é essencial selecionar uma região onde haja uma forte procura pelas suas mercadorias.

Assim, você reduz as despesas com transporte e o tempo para fazer as entregas. Quanto ao endereço, é necessário se lembrar de ter uma área fácil para a parada dos caminhões no momento de carga e descarga.

Caso o imóvel escolhido tenha um valor de locação vantajoso, talvez compense alugar uma área nem tão valorizada assim em termos de localização. Porém, pesquise o quanto essa escolha vai impactar nos custos de deslocamentos.

Na hora de decidir se você vai montar uma frota ou terceirizar, avalie muito bem todas as despesas envolvidas. Uma opção muito interessante é contratar caminhoneiros com veículos próprios por frete.

Use esses profissionais para buscar as mercadorias nas fábricas, já que, nesses casos, os carregamentos tendem a ser mais volumosos. Já para fazer as suas entregas em pequenos comércios, o ideal é utilizar caminhões de menor porte, que podem ser estacionados em vias públicas movimentadas com facilidade.

Gerencie a carteira de clientes de forma estratégica

Uma boa carteira de clientes é como um tesouro. Afinal, fidelizar e captar novos clientes é fundamental para manter o negócio sempre vivo. Cuide bem da sua lista e atualize o cadastro sempre. Assim, você se mantém próximo ao seu público.

Principais erros cometidos por uma distribuidora atacadista

Não fazer um controle de estoque adequado

Os atacadistas e distribuidores geralmente lidam com estoques muito grandes de produtos, que chegam a ocupar vários armazéns. Além disso, em alguns setores, como o alimentício, há várias categorias de produtos com necessidades especiais de armazenamento, que, portanto, precisam ser organizados adequadamente para prevenir perdas.

O fluxo também é muito grande e, a todo o instante, milhares de unidades de produtos vão entrar e sair do seu negócio. Sem um controle rígido de cada remessa, você pode perder o controle e deixar de faturar alguns produtos, o que consequentemente leva a um grande prejuízo. Com o tempo, pessoas mal-intencionadas também perceberão a desorganização e poderão desviar produtos facilmente.

Assim, o controle de estoque é uma medida indispensável. Para fazê-lo, não deixe de elaborar processos específicos apoiados em tecnologias automatizáveis. Há plataformas digitais com todas as ferramentas para essas tarefas, integrando as vendas com o estoque.

Não analisar custos

Muitos empreendedores só enxergam o aumento da lucratividade dos negócios sob a ótica do aumento de vendas. Porém, essa é uma das estratégias mais ineficazes, pois a demanda é sempre flutuante e contar somente com ela para manter um caixa positivo significa que, eventualmente, você terá prejuízos.

Na gestão moderna, a redução dos custos operacionais é vista como a melhor medida para manter a sustentabilidade do capital da sua empresa. Com isso, você terá uma margem maior para realizar investimentos e sobreviver em tempos de crise. Para isso, é preciso ter um bom gerenciamento da cadeia de suprimentos desde o relacionamento com os fornecedores até o time de vendas.

Não fazer inventários periódicos

Os inventários são documentos que apresentam resultados de análises do estoque em que todos os seus times de vendas e de operações se unem para contar os produtos manualmente. Afinal, por mais que haja automação, ainda pode haver algum erro humano, como deixar de registrar alguma venda, ou extravios. Então, é sempre bom checar periodicamente.

A frequência ideal da análise do inventário é semestral, podendo ocorrer também trimestralmente no caso de algumas empresas. Mas nunca se deve passar muito tempo sem fazer esse controle, senão você terá a sensação de que tudo está bem mesmo se isso não for verdade.

Não contar com um software especializado

O mercado de softwares para o mundo corporativo cresce exponencialmente a cada dia, pois a Transformação Digital tem demandado que as empresas se atualizem constantemente, abrindo um mercado enorme para a TI. No entanto, muitos desses sistemas não são completos para as necessidades de controle de estoque da sua empresa e contam apenas com ferramentas básicas.

Por isso, você deverá contratar ou adquirir um software especializado de uma empresa que foca no ramo das distribuidoras atacadistas. Somente assim o seu empreendimento terá uma solução capaz de entregar tudo aquilo de que precisa. Idealmente, esse software também deve estar integrado a um aplicativo móvel para que todos os seus funcionários do setor de logística tenham sempre em mãos uma ferramenta para atualizar o estoque onde estiverem, seja na mesa de um escritório seja no armazém.

Para facilitar o seu trabalho e impulsionar ainda mais as suas vendas, a ION Sistemas desenvolveu o aplicativo ION Vendas e os módulos ION Supervisor e ION Rotas. Juntos, esses produtos tecnológicos ajudam a aumentar a produtividade da equipe, contribuem para a organização do estoque e promovem um acompanhamento em tempo real da equipe de vendas, dos pedidos e dos clientes.

Como você pode perceber, entrar para o ramo de distribuidora atacadista exige perspicácia comercial e tino para os negócios. Além de entender o que significa atacado e varejo, é preciso saber que, ao contar com o suporte de um bom software, o empreendedor obterá bons resultados. Desse modo, é possível fazer o estoque girar, ter mais controle sobre as mercadorias e, consequentemente, aumentar o faturamento.

Acompanhe nossas novidade do Roupas Atacado Top, entre em nossas lojas

roupas-para-clientes-lojas-online-em-atacado

Look perfeito: Como encontrar roupas para revenda

Para muitos lojistas e revendedores a pergunta que “nunca quer calar” é sempre em torno do Look Perfeito, ou seja como encontrar roupas para revenda que sejam a cara de suas clientes. Isso porque existe sempre a dúvida em torno de quais são as tendências reais do mundo da moda.

Para isso algumas marcas de atacado buscam estudar o universo das tendências para apresentar sempre as melhores opções para seus revendedores e representantes. Para você conseguir encontrar roupas para revenda que tenham fit com o gosto das suas clientes, trouxemos algumas dicas:

Entenda o seu público

É importantíssimo que você como vendedora saiba quais são as características das suas clientes. Sabendo disso, você tem em mãos uma das informações mais valiosas do mundo – os hábitos de compra delas! A partir dessa informação fica bem mais fácil conseguir entender quais são seus costumes, seus gostos e seu comportamento.

Muitas meninas, por exemplo, são super antenadas no que está acontecendo no mundo da moda. Isso tem influência direta de blogueiras e famosas. Sendo assim, é bom que você sempre fique atenta ao que elas tem falado também, afinal de contas, saber o que seu público consome como informação e entretenimento também é parte do entendimento deste.

Pergunte!

Quantas clientes entram na sua loja por dia? Quantas pessoas você tem contato diretamente? Aposto que essas pessoas podem te ajudar a decidir como encontrar roupas para revenda. Isso porque existem alguns recursos que você pode utilizar, como por exemplo a exposição de produtos e exemplificação das roupas da estação.

Através de catálogos você consegue fazer isso facilmente. Ao ter em mãos toda a coleção de uma marca específica você consegue conversar com essas pessoas e apresentar a elas os produtos tendências da estação. Sabendo a aceitação delas frente aos produtos apresentados você consegue ter uma pesquisa informal sobre o que vai fazer sucesso e vender mais na sua loja. Dessa forma, consegue responder a pergunta “como encontrar roupas para revenda”.

Mas quais as marcas eu devo escolher?

Recomendamos sempre que você, na hora da escolha das marcas de revenda, verifique a confiabilidade do produto e dos representantes. Por exemplo, na Roupas Atacado Top, temos o hábito de deixar aberto o nosso canal de comunicação com os revendedores. Consideramos como fundamental que esse contato aconteça para possíveis dúvidas e suportes. Oferecemos também, aos interessados por revender nossas peças, um serviço de visitação de um representante. Ou seja, a partir dessa visita o futuro revendedor pode ter contato direto com as peças e ter garantia da sua qualidade.

Como encontrar roupas para revenda

Temos o hábito de divulgar catálogos de coleções novas em toda prévia de estação. Para encontrar roupas para revenda aqui na Roupas Atacado Top é super fácil, você pode acessar o link da imagem abaixo e encontrar a Coleção em nossas Lojas.

moda-jovem-masculina-tendencias-em-atacado

5 tendências de moda masculina para você se inspirar

O homem moderno está cada vez mais antenado nas tendências de moda. E com criações descoladas e cheias de estilo, a moda masculina vem se destacando por oferecer combinações que vão além do básico tradicional.

Vale a pena apostar em peças com estampas xadrez, jaquetas esportivas e até nas pochetes. Além disso, penteados texturizados e barba bem feita ajudam a compor uma imagem antenada. Quer saber mais? Neste texto apresentamos 5 tendências de moda masculina que você não pode perder. Confira!

1. Monocromia

É possível transmitir seu estilo sem ousar muito com o uso de tons monocromáticos. A moda monocromática é uma das tendências de moda masculina que deixa a silhueta mais longilínea e que, agora, vem repaginada com diversas cores.

Para além das combinações em preto, as últimas coleções destacaram cores como marrom, vinho, cinza, verde, vermelho e rosa. Aposte também em jaquetas abertas sobre camisetas mais longas.

2. Listras e microestampas

Invista em peças com listras na vertical. Elas aparecem tanto na alfaiataria como em roupas mais casuais. Outra tendência são estampas e padronagens minúsculas, opções curinga para quem procura toques discretos e diferenciados. Estampas de poá, por exemplo, foram incorporadas à camisa social de maneira divertida e em diversas cores. Combinar as listras e microestampas com barbas e bigodes ajudam a compor um estilo despojado.

3. Militarismo

Existem peças que integram o guarda-roupa masculino com uma pegada militar. Gravatas, jaquetas e blazer compunham o uniforme dos militares e foram incorporados ao vestuário dos homens. O camuflado clássico é uma marca registrada da tendência, mas, no inverno, o ideal é dar preferência a peças com cores que fazem referências ao militarismo, como o marrom, o bege e o verde musgo.

4. Barba bem feita

A barba se tornou item de estilo entre os homens. Ela ajuda a modelar o rosto e faz um jogo de luz e sombra, que valoriza alguns aspectos da fisionomia. Por isso, manter a barba e bigode aparados e os fios saudáveis é fundamental.

A dica é utilizar um óleo antes de aplicar a espuma para a lâmina deslizar de maneira suave, sem encostar na pele. Lave o rosto com água fria para fechar os poros e, por fim, aplique uma loção hidratante. Evite usar loções pós-barba à base de álcool, pois elas ressecam a pele. Para mais dicas sobre cuidados com a barba e bigode.

5. Penteados com texturas

O cabelo é outro destaque do estilo masculino. A tendência de moda masculina é manter as laterais raspadas e os fios da parte de cima arrepiados. Para garantir esse efeito, aposte em produtos como pomadas e ceras modeladoras. Vale lembrar que o corte precisa valorizar seu tipo de rosto.

Usar as tendências de moda masculina a seu favor pode ser bastante divertido. O importante é estar bem com você mesmo e, claro, confiante. Invista em peças que valorizem seu tipo de corpo e que possibilitem criar diferentes tipos de combinações, mas sem fugir da sua personalidade e estilo de vida.

Acesse nossas lojas!

moda-para-inverno-verao-outono-primavera-em-atacado-das-marcas

E a moda hoje? Como podemos defini-la, em 6 partes!

1 – Grande parte dos estudiosos explicam que a indumentária surgiu com três finalidades principais: adorno, pudor e proteção.

O adorno é o verdadeiro motivo que conduziu o homem à adoção de vestimentas e ainda as suas funções de preservação da temperatura corporal e do pudor. Vestir o corpo sempre foi um dos meios pelos quais o ser humano produziu significação na sociedade.

Essa motivação, de caráter tanto social quanto psicológica, mostra que a indumentária foi adotada como forma de expressão pela humanidade. O adorno tem como finalidade essencial embelezar a aparência física, de modo a atrair os olhares e a admiração de outros, e fortalecer a autoestima.

o pudor procura ocultar partes do corpo que possam chamar a atenção ou causar desejo. Sendo assim, por meio das roupas, buscamos satisfazer duas tendências contraditórias, de dois pontos de vista, aparentemente, incompatíveis; de um lado, exibir atrativos; de outro, ocultar vergonhas.

Ao longo dos séculos, a sociedade evoluiu e as características relativas às roupas se adequavam a cada época. Mesmo sendo o adorno uma das principais características da indumentária o pudor e a proteção são igualmente importantes, pois estão presentes em todos os momentos e influenciaram, cada um à sua maneira, a evolução da moda ao longo do tempo.

A segunda finalidade do uso do vestuário é o pudor, pois as pessoas utilizam as roupas como forma de cobrir o corpo, devidos às exigências morais da sociedade. Esta característica é geralmente definida pelo contexto cultural e religioso de cada sociedade. Em alguns países, ou entre praticantes de certas religiões, a mulher deve andar coberta, enquanto que, pelo contrário, em outros países e outras religiões o uso de roupas muito curtas e justas não é sinal de falta de respeito ou falta de pudor.

A terceira função do vestuário é a ornamentação, pois os adornos possibilitam enriquecer nossos atrativos físicos, afirmar nossa criatividade e individualidade ou sinalizar nossa associação ou posição dentro de um grupo ou cultura. Esses três princípios da indumentária foram evoluindo até chegar em uma das grandes mudanças da sociedade, o surgimento da moda.

O surgimento da moda ocorre durante o século XIV, tendo como uma das causas a diferenciação dos trajes masculino e feminino. Moda é o uso ou hábito geralmente aceito, variável no tempo, resultante de determinado gosto ou ideia, e de interferências do meio. Reflete os costumes, os valores da sociedade em um período de tempo. Por isso, a moda também é considerada um fenômeno social e cultural, já que expressa os valores da sociedade, usos, hábitos e costumes, em um determinado momento, consistindo na mudança constante de estilo, mudança esta advinda da necessidade de conquistar ou manter uma determinada posição social. Ou seja, moda é o reflexo das transformações da sociedade, dos costumes e do comportamento em geral.

Neste post compreendemos um pouco sobre os princípios do vestir e do surgimento da moda. Nos próximos vamos entender mais um pouco sobre o surgimento da moda e suas peculiaridades.

2 – Ainda sobre o surgimento da moda, vamos entender mais suas características e funcionamento.

Foi na segunda metade do século XIV que as roupas, tanto masculinas quanto femininas, adquiriram novas formas e surgiu algo que já podemos chamar de “moda”. As transformações relevantes na forma de vestir das sociedades podem ser consideradas sinalizadores para o surgimento da moda, que não pertence a todas as épocas nem a todas as civilizações, mas surgiu e consolidou-se no Ocidente. A roupa sempre foi o diferenciador social, uma espécie de retrato de uma comunidade ou classe e a roupa pode revelar o perfil de uma pessoa em particular e da sociedade em geral.

Com o desenvolvimento da moda, novas características surgiram, além da diferenciação de sexo, passou a se destacar a diferenciação de classes. Embora esta característica fosse comum na maioria das sociedades até o advento da moda, enquanto código de indumentária, foi em sociedades caracterizadas pela mobilidade vertical que a moda, enquanto tal, se tornou uma característica diferenciadora entre classes. Nas sociedades não aristocráticas as classes sociais mais elevadas viram no constante fluir da moda uma forma de manter a sua identificação em relação às classes sociais menos favorecidas.

A sazonalidade, isto é, a duração por um determinado período de tempo das propostas de moda, é outra característica marcante. Até ao século XX, a moda afirmava-se com lentidão e com igual lentidão era substituída. O processo de adaptação das roupas por parte da classe baixa era lento, pois as novidades não eram constantes, era um ciclo que refletia um processo contínuo, mas lento.

A moda surgia nas classes dominantes, a aristocracia, que era lançadora de novos trajes e ditava as próximas novidades em termos de vestuário. As outras classes, por sua vez, tentavam adaptar ao seu vestuário as novas características das classes altas para tentar assim adquirir mais status. Isto desencadeava um processo de contágio social no qual os estilos eram adotados por grupos de status sucessivamente inferiores.

Quando a moda chegava as classes mais baixas, a classe alta já havia adotado estilos novos, pois o anterior estava banalizado. Os grupos superiores buscam novas modas para assim manter a sua imagem, ou seja, “a moda difundia-se das classes altas para as mais baixas”.

3 – As teorias de propagação da moda.

Após a consolidação da moda como mudança, busca por diferenciação e sua inserção total na sociedade, vamos entender mais sobre as teorias de propagação da moda desde seu início.

A teoria mais conhecida sobre moda é a de George Simmel, que é denominada de “trickle down effect”, que define as mudanças na moda como um processo de imitação das elites sociais por parte de seus inferiores. Esta teoria indica que as classes mais altas iniciam as tendências de moda e estas fluem para as classes médias e depois descem e atingem as mais baixas classes sociais.

Esta teoria funciona como uma pirâmide, sendo o seu topo ocupado pelas classes dominantes, seguindo-se a classe média e as classes mais baixas. Assim a moda seria propagada aos grupos inferiores, pelo movimento “trickle down”, ou seja, de cima para baixo. Isto significa que os grupos sociais inferiores tentam adotar os símbolos dos grupos superiores procurando subir na escala da mobilidade social.

Podemos então considerar que com estas mudanças no vestuário o mesmo deixou de ser um fenômeno raro ou acidental e passou a regular os prazeres das classes dominantes, instaurando o culto das novidades. Quanto mais as classes inferiores copiavam, mais a classe alta mudava, passando a cultuar essas mudanças e a apreciar as novidades, fazendo com que elas começassem a ser cada vez mais presentes na sociedade.

Se até ao século XVIII as inovações se difundiam das classes altas para as mais baixas, a partir do século XIX, com o surgimento da Alta-Costura, o conceito de moda sofreu algumas modificações, tornando o costureiro o “ditador de moda”. Assim, era ele quem decidia o que seria adotado pelas classes altas e mais tarde imitado pelas classes menos favorecidas. A Alta-Costura foi pioneira no lançamento de tendências – como as conhecemos hoje – ditando conceitos, formas, estilos e cores que seriam imitados pelas indústrias. A definição das tendências, durante cem anos, dependeu quase exclusivamente das visões de moda proposta pelos costureiros franceses.

Se no início as tendências eram ditadas pela corte, depois pelos costureiros, no período que antecede a II Guerra Mundial era definida pelos adultos e copiada pelos jovens. Nas décadas de 50 e 60 a moda voltou-se para um novo grupo de consumidores, os adolescentes, também chamados de “baby boomers” – jovens que impuseram ao mundo um novo estilo e um novo comportamento. Foi neste momento que a moda saiu dos ateliers e começou a ter mais contato com as ruas, ou seja, a moda de rua passou a ser adotada pelas classes superiores. Aconteceu assim a “consagração da juventude”, mais preocupada com a originalidade e a espontaneidade, o que revigorou a moda. Ao fenômeno “trickle down effect”, proposto por Simmel, veio associar-se o seu inverso, o “trickle up effect”, que defende que a moda se difunde de baixo para cima. Isto acontece devido à crescente influência da cultura jovem na moda, causando grandes mudanças na sociedade. As modas consideradas incomuns são usadas nas classes sociais mais baixas e podem subir para outras classes mais elevadas. Por exemplo: punks, góticos, surgiram no underground londrino e emergiram para a moda da classe média.

4 – No texto acima introduz o conceito do movimento trickle-up, onde uma nova forma de aparência sai da rua e aparece como manifestação legítima de um grupo para comunicar seus sentimentos e pretensões, e ao ser apropriada pelo sistema da moda (estilistas e grandes marcas) é legitimada e se torna popular, transformando-se na moda do momento. Então, agora vamos entender um pouco mais sobre ele.

Percebemos que a rua agora influência a moda, e principalmente os jovens. Os comportamentos sociais dos adolescentes que legitimam estilos vindos da rua, como o ¬_hip-hop_, têm sido importantes para as mudanças a nível social. Essas mudanças culturais fazem emergir novas necessidades e desejos nos consumidores. As mudanças que ocorrem na segunda metade do século XX atingem praticamente todos os aspectos da sociedade e resultam, entre outras, numa atitude pró-juventude, numa recusa de envelhecer. Como reflexo, a moda jovem infiltra os grupos etários mais velhos. Nesse contexto, as produções estéticas juvenis passaram a ser referência para produção da moda, dando origem ao supermercado de estilos (tratarei em futuros posts com mais profundidade). A juventude entra na moda e a padronização acontece quando o desejo de ser e parecer jovem é imposto pela moda.

Esse conceito perdura até os tempos atuais. Os jovens laçam as tendências e os mais velhos, na busca por estarem inseridos na sociedade e pelo rejuvenescer pelo menos na aparência, adaptam-se a essas tendências. O ideal de juventude passou a ser celebrado. É nesta época que aparecem os primeiros grupos de jovens que procuram expressar sua identidade através das roupas, os teddy boys e os beatnicks, que iniciaram o que hoje se designa como cultura de rua. A moda começou a concentrar-se nos adolescentes e a expressar o seu desejo de ruptura, liberdade, revolta, modernidade, diferenciação, e assume o que se torna a característica acrescidas da moda, a expressão e a contestação. Sendo a moda o modelo estabelecido que satisfaz a procura por adaptação social, diferenciação e desejo de pertencer a um grupo social, faz com que os jovens consolidem essas características cada vez mais presentes na moda.

Sendo assim, o jovem é o agente principal quando falamos de moda e tendências. Mas não paramos por aqui. Nossa busca pela resposta, de como podemos definir a moda hoje.

5 – Os anos 1980 chegaram e com ele o ritmo das mudanças na moda acelerou.

“O novo século chegou imprimindo mais complexidade e multiplicidade nos caminhos e escolhas”. Então novos divulgadores/propagadores de moda foram adicionados aos já existentes. No período de 1980 e 1990, eles dividiram-se: na moda institucional (Alta Costura, prêt-à-porter, indústrias de corantes, fibras, tecidos e grandes magazines), nas subculturas jovens e movimentos de rua e no próprio indivíduo (personalização, customização). Isto quer dizer que no final do século XX não exista apenas um grupo lançador de tendência, mas sim vários que se complementavam e ajudavam no desenvolvimento dos produtos de moda.

Algumas destas particularidades ainda se mantém, porém acrescidas de uma que envolve extremamente a questão comercial. Talvez pelo fato de vivermos numa sociedade capitalista e de consumo, onde tudo passa a ter um prazo (curto) de validade, é que a moda precisa, sempre, se reinventar. Resultando desta questão de renovação contínua, a moda agora tem ciclos com períodos cada vez menores, tornando as propostas de vestir cada vez menos duráveis. A moda, atualmente, vive seu apogeu numa sociedade dominada pela efemeridade, sendo o símbolo máximo da renovação e da ânsia de consumo de novos produtos.

A moda transformou-se ao longo destes anos, desde sua origem até agora, tendo cada vez menos a influência de distinção social e cada vez mais a sede do novo. O desenvolvimento da moda tem sido abordado dentro de um processo no qual a tradição perdeu peso e o presente, o novo, o tecnológico e a vanguarda tornaram-se as principais referências para as pessoas.

Na moda contemporânea, os modelos e ciclos de valores, tanto da moda como da sociedade, alternam-se e modificam-se de forma cada vez mais rápida. O que alimenta a moda é o aparecimento incessante de novas tendências – atração, inclinação, direção, intenção – seja qual for o ângulo que se observe, ou o contexto que se considere – toda tendência se refere a um movimento em direção a um objeto-valor. Na moda, as tendências dizem respeito à adoção de um novo ponto de vista, capaz de garantir um princípio alternativo, mas que, ao mesmo tempo, seja suficientemente compartilhado para obter um número significativo de adeptos. As tendências são hoje um dos principais pontos a analisar no desenvolvimento de produtos, pois com as corretas informações sobre as tendências comportamentais e de moda, as empresas terão mais dados fiáveis e assim conseguirão atingir seu consumidor da melhor forma possível.

Devido a essas mudanças, tanto no ciclo de vida dos produtos quanto em relação às exigências dos consumidores, um novo sinalizador surgiu, expressando a força que o indivíduo adquiriu no mundo contemporâneo. Os trendsetters, “são indivíduos que, pela influência que seus comportamentos e aparências exercem sobre os demais, apontam tendências, fazem moda ou lançam novos estilos”. Atualmente, qualquer indivíduo pode, em algum momento, lançar um estilo que tenha influência sobre os demais. E assim surge mais um modelo de difusão da moda: o trickle across effect ou bubble up.

6 – Na nova realidade de difusão de moda, designada como trickle across effect ou bubble up, as tendências se propagam como contágio e não hierarquicamente de cima para baixo como no começo, mas horizontalmente e em sentido de leque.

Hoje as tendências podem surgir de qualquer classe socioeconômica. Agora a moda não é criada pela burguesia, nem apenas na rua, por um grupo. O bubble up effect descreve de que modo as atividades, interesses especiais e subgrupos culturais influenciam a corrente geral e é considerado como uma fonte de novas direções da moda atual.

A moda difunde-se hoje através de todas as nações civilizadas por contágio e por contato. Ou seja, nesse sistema de propagação a moda se difunde transversalmente e em todas direções. Os consumidores tendem a ser mais influenciados pela opinião de líderes que são seus similares. Com todas essas ideias expostas podemos tentar responder as nossas perguntas. E a moda hoje? Como podemos definir?

Se um dia você se depara com um desenho piramidal para simbolizar o funcionamento da moda… mesmo a pirâmide invertida, que privilegiou o nascimento das tendências nas ruas…se pensarmos bem, são ultrapassadas.

Portanto, a partir de 1990 é interessante visualizar esse funcionamento como uma rede de conexões. Ou seja, hoje as tendências são descobertas nessa rede de conexões, onde qualquer um pode lançar uma tendência e não uma classe apenas. Elas vêm de todas as direções.

Afinal de contas, moda não é apenas vestir, é um conjunto de informações que orientam costumes e comportamentos e varia no tempo e na sociedade. Aí estão incluídos, além de roupas e adornos, a música, a literatura, a arquitetura, os hábitos, enfim, tudo o que pode mudar com o tempo e que, a cada época, é ditado por determinada tendência. A moda hoje representa uma nova categoria cultural, uma nova maneira de entender a evolução da sociedade e uma forma de intervenção na realidade cultural atual.

O mercado da moda é um segmento que está sempre cercado por mudanças e novidades, independente de época ou lugar.

Conheça nossas lojas e faça você mesmo seu próprio look do dia, aqui no Roupas Atacado Top

moletons-em-atacado-inverno-com-moleton-agasalho-quente.jpg

Moletons Quentinhos

O casaco de moletom nunca foi tão cool. Conhecido por transitar normalmente em ambientes esportivos, ele tem ganhado status de protagonista nos looks . Aproveitando a chegada do inverno, trouxemos algumas sugestões de agasalhos de moletom pra você investir agora e ficar e bem quentinha durante toda a estação. Vem conferir !

Desde que deixou de ser sinônimo de roupa esportiva ou apenas roupa pra ficar em casa, os moletons femininos estão mais modernos, abusando das modelagens diferentes e apostando forte no mix de tecidos, texturas e aplicações. Além da clássica calça de moletom, aposte em outras combinações pra deixar o visual mais moderno.

·         Moletom Masculino

Quando o assunto é moletom masculino, os modelos com capuz e bolso canguru são unanimes. Isso sem falar nos detalhes esportivos que também sempre marcam presença. Do básico ao mais arrumadinho separamos alguns moletons masculinos  pra você investir agora.

Veja mais loja: Direto da Fábrica

Gostou das dicas e que ver mais? No Roupas Atacado Top, você encontra moletons femininos do tamanho p ao plus size além de moletons masculinos. Clique aqui pra escolher o seu predileto!

Lookinho comfy que se preze precisa de, no mínimo, um item de moletom. Não é regra, mas é fato. Ainda mais agora, que a quarentena criou novos parâmetros em termos de conforto, maciez, modelagens amplas e DNA esportivo são aliados de uma produção perfeita para se mover com liberdade to-tal. Melhor impossível, né?

Moletom vale para visual feminino, masculino e infantil, nos mais diversos formatos. Afinal… todo mundo ama moletom, ainda mais com um bom capuz! Do blusão cropped descolado (e perfeito para criar uma bela sobreposição) à calça com carinha de fim de semana, passando por peças estampadas, sempre existe um moletom à sua espera. Tudo pronto para escolher o seu?

Veja mais loja: Direto da Fábrica

Confira uma seleção de moletons para deixar qualquer dia mais comfy:

Lisos:

aquela certeza de look básico e eficiente, sem perder a conexão com o streetwear. As combinações sisudas, como cinza e preto, ganham tempero com recortes geométricos e são alternativas à monocromia.

Estampados:

quadriculados bem urbanos, tye-die com pegada pop ou ilustrações cheias de estilo são só alguns dos bons exemplos de como incorporar outros elementos ao lookinho comfy – e fugir do óbvio.

Infantil:

com estampas e detalhes lúdicos (como orelhas de coelho, que tal?), moletom infantil é um curinga eterno para brincadeiras e momentos de alegria com a família.

O que achou dessas dicas? Agora é a sua vez de colocá-las em prática e fazer as mais diversas combinações para se aquecer com muito estilo!

Acesse nossas lojas: https://roupasatacado.top/nossas-lojas

vender-roupas-pela-internet-em-atacado-loja-online

6 Estratégias para Empreendedores: Vender Camisetas pela Internet, dá Dinheiro?

Já pensou em várias formas de ganhar dinheiro e nenhuma delas foi satisfatória? Temos vários posts aqui no blog sobre formas de ganhar dinheiro pela internet, eu mesma já testei várias dessas formas e me encontrei por aqui, espero que possa ajudar a todos com minhas dicas e experiências.

Hoje falaremos sobre vender camisetas pela internet, fizemos um resumão e temos várias dicas legais para compartilhar, fique até o final e veja como construir um império com vendas de camisetas personalizadas.

Saiba como começar a ganhar dinheiro

 

Alguns iniciam o empreendimento cheios de expectativa e no primeiro momento de conflito desistem. Outros são mais “pé no chão”, querem um resultado, mas sabem que é preciso batalhar para isso.

Em qualquer lugar que você passar, irá encontrar situações e pessoas difíceis que farão de tudo para te desmotivar, é nesse momento que você lembra o seu propósito e não desiste em qualquer situação.

Para seguir é necessário tomar uma boa dose de motivação e ter a certeza de que acredita. Com essas coisas algumas pessoas começaram a vender camisetas pela internet e hoje possuem grandes impérios na área!

 

1 – Busque conhecer o mercado

 

Se você quer realmente trabalhar com a venda de camisetas na internet, é necessário conhecer melhor sobre o mercado que o envolve e como é a oferta e procura neste ambiente.

Não se contente em saber apenas quem serão seus concorrentes, mas também estude o seu público alvo, fazendo com que assim você possa começar a pensar no que poderá comprar.

Ao definir, por exemplo, a classe econômica e o gênero (se decidir especificar algum), você poderá estudar o perfil do seu consumidor e analisar os tipos de camisetas que mais são usados, isso fará diferença no momento da venda.

Quanto à concorrência, você precisa fazer uma análise crítica que mostre os custos dos produtos deles, o quão são conhecidos na web e a forma que o seu futuro cliente consome do seu concorrente.

Você pode até dizer: “Esses detalhes eu sei de cabeça”. Não faça isso! As informações que você reúne são fundamentais para que você comece a se orientar.

 

2 – Planeje seu negócio e não deixe faltar em nada!

 

Um dos pontos fundamentais para a sua venda de camisetas pela internet é a organização.

Se você sabe que é necessário despachar encomendas no correio e elas tem uma data certa para serem enviadas, isso precisa ser anotado.

Não confie em sua mente, nem ache que porque está no site que você irá lembrar. É necessário planejar o que será feito e manter um sistema de produção, para que isso não te deixe fora do foco.

Por isso sente na cadeira e comece a colocar no papel tudo que é importante para que o seu projeto funcione corretamente e que você cresça.

3 – Quem será o seu fornecedor?

 

A escolha do fornecedor é muito importante, já que ele será responsável por te abastecer para que você venda os produtos.

Tenha a Roupas Atacado Top como seu fornecedor e abasteça seu estoque com nossos produtos!.

Na Roupas Atacado Top vendemos produtos de qualidades, para que vocês ofereça aos seus clientes o diferencial e o retorno nas compras.

Ter camisetas de qualidade é o ponto principal do seu negócio e eu aconselho que você já comece a buscar onde comprar roupas no atacado para revender.

 

4 – Por que não fazer sua própria marca?

 

Outra linha bacana que pode te ajudar a ganhar dinheiro é o de estamparia. Ao invés de você comprar camisetas para revender na internet, você pode montar suas próprias estampas e vender com o seu negócio.

Montar uma camiseteria tem muito potencial hoje em dia se você souber escolher bem o seu público alvo e tiver uma boa produção.

Pense nisso e veja quais são os custos e modificações que você precisaria fazer para começar a trabalhar dessa forma.

 

5 – Prepare um espaço para estoque

 

Essa talvez seja uma coisa sobre vender camisetas pela internet que muita gente acaba esquecendo.

Como você venderá online, é necessário que você tenha um estoque. Se você mora em uma casa e tem um cômodo extra, compre um armário para deixar as roupas guardadas.

Certifique-se de que o local é arejado, para não deixar as camisetas com cheiro ruim.

A arrumação do estoque é fundamental! Esse também pode ser o espaço onde você irá tirar a foto das camisetas para colocar na internet para divulgação.

Ah, uma dica: Sempre que for enviar uma encomenda coloque o produto bem arrumado na embalagem e dê algum mimo aos seus clientes.

Em alguns casos as pessoas colocam um pequeno bilhete feito à mão.

6 – Escolha a maneira que você vai vender

 

Hoje a gente consegue vender qualquer coisa de diversas formas e muitas delas não precisam de burocracia.

Algumas pessoas divulgam um produto pelo Facebook, outras criam uma conta no Mercado Livre e disponibilizam os produtos. E você, como vai vender?

Se de início você não tiver condições de montar um site, não tem problema! Você tem a sua disposição as redes sociais e os sites de compras. Se você trabalhar corretamente terá muito potencial.

Só que não se prenda a isso. Trabalhe só com essas ferramentas até fazer um caixa para produzir o seu próprio site. Com ele você tem ainda mais chances de ganhar dinheiro.

O que você não pode esquecer é que trabalhar corretamente com todas essas redes é a melhor maneira de crescer na internet. Por isso eu sugiro que você estude muito o assunto e contrate um profissional para fazer isso por você.

 

Vender pela internet dá dinheiro?

 

O crescimento de sua empresa depende do esforço que você irá fazer.

Quando eu falo de esforço, primeiro penso na força de vontade e no foco em ver o seu trabalho crescer e em segundo estou citando o investimento financeiro.

Esses dois devem andar lado a lado, já que não adianta investir uma fortuna em um negócio que você não irá mover um dedo para produzir.

Busque trabalhar de uma forma que não seja exaustiva, mas também que permita que você foque em resultados.

No início é até normal que você se canse demais passe algumas noites acordada para entender como funciona algo, mas esse esforço será retribuído quando o trabalho começar a ser feito.

A dica do dia é: O segredo do sucesso é a crença que está por trás dele!

Acesse nossa lojas

Roupas Atacado Top

 

moda-estilo-tendencias-da-moda

Roupas casuais para trabalhar em escritório: como equilibrar o casual com profissionalismo

Todo homem concorda que, ao trabalhar em um local que exige o uso de roupas sociais, a tarefa de escolher o que vestir de manhã torna-se um pouco mais prática, principalmente se forem homens que escolhem peças básicas e em tons neutros.

Claro que há homens que gostam de ousar e se desafiar a transformar essa escolha de roupa social considerada padrão em algo com um toque de personalidade e estilo.

Porém, trabalhar num ambiente que permite vestimentas casuais passa uma falsa impressão de que será mais fácil escolher as roupas. Mas deve-se prestar muita atenção para não cair do casual para o desleixo.

Assim, volta o dilema de como se vestir bem no ambiente de trabalho quando o código de vestimenta é flexível: é preciso equilibrar o casual com profissionalismo e encontrar a harmonia perfeita nas roupas casuais para trabalhar em escritório.

Tenha em mente este nome: casual business. Essa expressão traduz exatamente o que você deve almejar ao se vestir de forma casual para trabalhar.

E como é o estilo casual business?

·Ele é um pouco menos rigoroso do que os trajes sociais, permitindo que você use camisas com estampas mais modernas, como xadrez ou floral.

·Ainda sobre as camisas, é possível usá-las sem gravata e com um ou dois botões abertos.

·Como o ambiente é um pouco mais casual, você também pode adicionar estilo e se refrescar dobrando as mangas.

·Esta regra pode variar de empresa para empresa: dependendo do local de trabalho, você pode até usar uma camisa casual, ou seja, de mangas curtas e botões.

·Os tecidos das calças também são mais flexíveis, e podem ser tanto as calças sociais tradicionais em qualquer cor (mas usadas sem cinto, por exemplo, ou combinadas com sapatos que não sejam de couro), calças de sarja e também calças jeans, desde que sejam lisas e de corte reto.

·As calças sociais podem ser pretas, mas a criatividade também pode falar mais alto aqui: calças cinzas, verde escuras, vinho, em risca de giz e até em cortes mais afunilados, que dão um toque de jovialidade ao visual.

·A maioria dos homens que usa jeans no trabalho prefere tons de azul mais escuros, para continuarem discretos mesmo no clima casual. Já as calças de sarja podem aparecer em várias cores.

·Os calçados devem ser escolhidos com cuidado para que sua imagem não fique casual demais, beirando o passeio e não o trabalho e se inspirar na hora de escolher o melhor sapato e combinar com as roupas casuais para trabalhar em escritório.

·Se estiver frio, você pode optar por blazers estampados, listrados ou em xadrez para adicionar personalidade. Uma peça muito estilosa e que combina com dias chuvosos é o trench coat, perfeitamente casual. Jaquetas de couro com boa modelagem e neutras também fazem sucesso nesse tipo de look.

Lembre-se de que, por mais que a empresa permita roupas casuais para trabalhar em escritório, ainda é um ambiente profissional, onde devem ser seguidas as regras do bom senso!

Conheça nossas Lojas da Roupas Atacado Top

na-moda-so-com-o-essencial-moda-para-todos-moda-em-atacado-moda-multimarcas-moda-de-marcas

Moda não é só roupa

Afinal, o que é a moda? Para além dessa grande indústria da qual somos parte e que nos mantém unidos, a moda tem o propósito de representar nosso tempo e expressar a identidade das pessoas. Vamos entendê-la mais a fundo? Vem com a gente nessa mini viagem do tempo!

Moda não é só roupa

Pra começo de conversa, saiba que a palavra moda tem origem do latim modus, e significa costume. Enquanto no século XV o uso das roupas era diferente de acordo com sua origem social, e as roupas praticamente não variavam de estilo, a partir do século XVIII e da Revolução Industrial tivemos a invenção da máquina de costura, entre outras coisas, e tudo mudou, até chegarmos à multiplicidade de estilos que temos atualmente.

Moda é sua representação!

Assim, vestir roupas é muito mais do que cobrir a pele. É representar – através da escolha do que está no seu guarda-roupaqual a sua personalidade, qual atitude deseja expressar e como é o seu comportamento – e isso pode variar ao longo da vida e até conforme o dia! Por exemplo, talvez você queira sair de preto da cabeça aos pés na sexta-feira, com botas em uma vibe mais rockeira. Depois, quem sabe, decida passar o fim de semana toda de branco, de sandálias leves, bem clean e minimalista. Estilos quase opostos…. mas a mesma pessoa!

Moda tem (muita) história

Diferentes peças da moda também representam diferentes culturas: lembre-se das camisas de flanela xadrez amarradas na cintura (bem grunge anos 90), das saias longas e floridas (na vibe hippie paz e amor dos anos 70), passando pelas roupas coloridas e as plataformas (cara da comunidade clubber no início dos anos 2000). Isso foi só uma passagem rápida por alguns ícones mais recentes dessa grande enciclopédia que é a moda!

Moda conta a sua história!

Pense no seu estilo: já mudou muito nesta vida? Pois a moda também é capaz de contar as suas histórias através das roupas que você usa e usou, ela coleta pequenos pedaços de nós mesmos ao longo do tempo. Uma roupa que você adora porque aumenta sua confiança ou outra que você quis usar para se sentir parte de um grupo, ou aquela que marcou uma festa especial… são vários os momentos lindos da vida que a moda está presente!

Saiba mais nossos conceitos no Roupas Atacado Top e fica por dentro da moda!!