O termo dropshipping nasceu da junção de 2 palavras: drop, que significa largar, e shipping, que pode ser traduzida como remessa. Conhecendo essa origem fica muito mais fácil entender a utilidade da técnica para as lojas virtuais: basicamente, deixar a entrega e o estoque dos produtos por conta de outra empresa.

atacado-vendas-em-atacado-de-marcas

O que é Atacado

Atacado é o tipo de comércio cujo público-alvo são outras empresas ou instituições, isto é, pessoas jurídicas. O comércio atacadista é, portanto, realizado entre duas empresas e não entre empresa e consumidor final, como é o caso do varejo.

As empresas que compram dos atacados podem adquirir os produtos para revender ao consumidor final (pessoa física) ou para utilizá-los como insumo (matéria-prima) para suas atividades.

No atacado, os produtos são mais baratos que no varejo e costumam ser vendidos em grandes quantidades. A principal vantagem para as empresas em adquirir produtos no comércio atacadista é o menor preço.

Como funciona um atacado?

Os atacados costumam ter grandes estoques de um mesmo produto e geralmente, vendem em grandes quantidades. Por exemplo, uma loja atacadista de produtos de limpeza não vende um amaciante ou desinfetante, mas sim, uma grande quantidade de cada produto.

É comum, ainda, que as lojas atacadistas determinem uma quantidade mínima a ser comprada e dessa forma, conseguem oferecer um preço mais baixo. Os preços no atacado podem chegar a ser 50% mais baratos do que no varejo.

Devido aos preços mais baixos no atacado, os varejistas conseguem revender os produtos para o consumidor final a um preço mais elevado e assim, garantir sua margem de lucro.

Veja também o significado de matéria-prima e lucro.

Diferença entre atacado e varejo

O que diferencia o comércio varejista do comércio atacadista é o público-alvo. O varejo é o tipo de comércio destinado ao consumidor final, que adquire produtos para seu próprio consumo ou usufruto.

O comércio atacadista é aquele que acontece entre duas empresas – dois CNPJs. No comércio atacadista, as empresas costumam comprar em quantidades maiores e preços menores e utilizam os produtos para o desempenho de suas atividades.

O comércio atacadista também é chamado de distribuidor, pois faz a distribuição de produtos para toda a rede de varejo. A atuação de ambos os tipos de comércio é responsável pelo abastecimento das lojas na cidade, onde os consumidores finais irão adquirir os produtos que necessitam.

O que é atacarejo?

Atacarejo é um tipo de comércio que vende também para consumidores finais, mas possui características do atacado. Em um atacarejo, os preços são mais baixos que no varejo e possuem um volume alto de venda – o que os permite praticar menores preços.

Como tem quantidade maior de cada produto, tem uma variedade menor de marcas e modelos, isto é, tem um sortimento menor do que o varejo. A precificação no atacarejo costuma ser diferenciada conforme a quantidade de produtos – para menores quantidades o valor é mais alto, para grandes quantidades, o preço unitário diminui.

Um exemplo de atacarejo é a rede Makro, pioneira nesse tipo de comércio no Brasil. Hoje existem outras marcas que vendem como atacadistas também para o consumidor final, é o caso do Atacadão e do Maxxi.

índice-dropshipping-1.jpeg

O que é dropshipping?

O termo dropshipping nasceu da junção de 2 palavras: drop, que significa largar, e shipping, que pode ser traduzida como remessa. Conhecendo essa origem fica muito mais fácil entender a utilidade da técnica para as lojas virtuais: basicamente, deixar a entrega e o estoque dos produtos por conta de outra empresa.

Com o dropshipping, o e-commerce faz a venda do produto e envia a ordem dessa transação para o fornecedor parceiro. É o fornecedor quem vai enviar o item para o cliente em nome do comércio eletrônico, que tem como lucro a diferença entre o preço cobrado para o usuário e aquele cobrado pelo parceiro. Viu como não tem mistério?

Se você ainda não tinha ouvido falar a respeito dessa técnica, é bem possível que ache que ela é relativamente nova. Mas, na verdade, não é bem assim. Canais de TV e até algumas estações de rádio já usavam esse modelo de gestão de logística há muitos anos, oferecendo em sua programação alguns produtos que podiam ser comprados pelo telefone.

É preciso juntar menos capital para começar a empreender

Do lado de quem vende, o dropshipping é uma ótima pedida, pois faz com que o empreendedor não tenha que investir em um gigantesco inventário de produtos antes de colocar a mão na massa.

É muito mais fácil começar seu negócio online

Se sua empresa não precisa lidar fisicamente com os produtos a serem entregues, o processo de vendas fica bem mais facilitado. Afinal de contas, depois da venda, sua parte da operação se resumirá a observar números e dar continuidade ao ciclo, gerando mais e mais vendas.

É garantia de flexibilidade regional

Não existem armazéns disponíveis onde você mora? O preço do aluguel é muito caro? É difícil cuidar da logística de envio na região onde você trabalha? Com o sistema de dropshipping, nada disso é problema.

É fácil de escalar seu negócio

Quem tem uma empresa tradicional sabe bem que, se o negócio dobra ou triplica de tamanho, é preciso dobrar ou triplicar o investimento. Já no caso de uma marca que funciona com o modelo dropshipping, essa conta costuma fechar mais facilmente.

Isso acontece porque, no caso de crescimento acentuado, a parte de estoque e logística pode ser repassada sem problemas para os fornecedores (atuais ou novos), desde que deem conta das demandas. Aliás, você pode entender um pouco mais sobre escalabilidade de negócio conferindo nosso post sobre a diferença entre lucratividade e rentabilidade.

Do fornecedor para o cliente
A parte de empacotamento do produto e envio para o cliente fica por conta do fornecedor, que ainda é o responsável por gerar o código de acompanhamento para sua empresa.